Estou com sorte 😉

Separamos este artigo para você!

No engano do açúcar

 

Participei de processos coletivos antes, mas nenhum de forma leve como esse foi, não sendo indagado sobre meu processo de criação, tendo total liberdade para poder sentir e fazer o que achar de melhor com o produto final. Tenho como conclusão que esses processos são cada vez mais necessários na vida do artista; a produção sozinho sempre se torna muito cansativa e leva tempos para acontecer; quando se divide as funções, acontece de forma orgânica e natural, não tendo nenhum tipo de cobrança e sim apenas celebração com os resultados.

Foto: Bete Nagô

Captação de imagens: Bete Nagô e Anita Figueira

Edição de vídeo: Luiz Vida

 

Postar um comentário

parceiros
Neste momento esta rede social é restrita