Estou com sorte 😉

Separamos este artigo para você!

Lua, Julie

Julie Lua 33 anos, proprietária da Conto de Fadas Festas, após sofrer violência doméstica encontrou na poesia uma forma de não se afogar nas más águas em que esteve mergulhada. Julie não se vê poetisa, acha que para isso deve ter escrita acadêmica, acha que a simplicidade que tem em si talvez não seja digna do título, mas os textos de Lua são poesia e das viscerais.   

Mãe de duas meninas e um menino, nessa quarentena não tem encontrado tempo ou disposição para ler e lembra que a leitura torna sua escrita mais rica e mais criativa.

A casa está em quarentena há dois meses, ela só sai em caso de extrema urgência.

Dom o filho mais novo tem problema respiratório. 

Julie conta que para o filho, no início, foi difícil entender esse lance de ficar em casa. Achava que o isolamento era só pra ele. O entendimento de que todas as crianças, de todo o mundo, estavam na mesma situação, veio com o tempo e ele começou a ver vantagem em não precisar acordar cedo para ir à escola, ou cumprir as rotinas semanais de médicos e terapias. No primeiro mês foram só férias. Depois a rotina escolar voltou; só que agora é diferente.

Como mãe de uma criança com TDAH teve que forjar uma nova rotina com o Dominic, pois a mudança brusca no dia-a-dia desencadeou crises nervosas no filho. Além das demandas escolares que requerem atenção e acompanhamento diário, as atividades que ela propõe em casa também são objeto de pesquisa em seu próprio trabalho na Conto de Fadas que consiste em utilizar a arte como ferramenta na educação e entretenimento das crianças.

Ju teve que desfazer e refazer planos, adiar o início de projetos e refletir sobre como se reinventar no trabalho diante dessa nova realidade. Visto que o carro chefe da sua empresa é a pintura artística corporal e facial, sua preocupação é como evitar a contaminação através da utilização de pincéis e tintas que são suas ferramentas de trabalho e questiona sobre a viabilidade de continuar pintando sem correr riscos de contaminação dela e das crianças.

Lua teme o fechamento do seu negócio: como microempreendedora entende que para a prosperidade da sua empresa os primeiros anos são de extrema importância.

Agora Julie produz conteúdos super legais com atividades recreativas em sua conta do Instagram @conto_defadasfestas.  

Em meio a tantas demandas e preocupações, encontrou tempo para criar o projeto Lua de Hella uma rede de apoio a mulheres gestantes da Praia Grande em situação de vulnerabilidade.

 

Este breve relato sobre a vida de Julie Lua em quarentena acaba por aqui e não faz o devido jus às suas inúmeras potencialidades como mulher preta, periférica, artista, articuladora social, mãe e amiga. Lua é muito mais do que qualquer texto sobre quarentena, Julie é toda poesia que eu não sei expressar, mas se eu soubesse ela seria visceral. 

Postar um comentário

parceiros
Neste momento esta rede social é restrita