Estou com sorte 😉

Separamos este artigo para você!

Detalhes

Descobri detalhes

Da história de onde eu vim

Vi que apagaram

milhares

De informações sobre mim

A história dos meus familiares

Os nomes que ainda sinto o gosto

O paladar

A alma que habitava cada rosto

O som dos tambores

As curas, as dores

Meu peito desritmado

Achou UM compasso

Fechei os olhos e vi

os de meus antepassados

As rotas de fuga

O seio ofegante

Suor frio fritando na nuca

Desespero-semblante

E a cada batida machuca

O perdido coração

Em terra desconhecida e distante

A cor da pele sumir na escuridão

Eu vi a saudade

O dom

A sabedoria e a liberdade

Que foram escravizados

Ouvi os passos

apressados

dos originários

Vi na neblina a resistência

De um Brasil denso mata adentro

Antes de sua falência

Ouvi o canto das minhas avós

A flecha

das minhas madrinhas

Seus segredos

De quando eram rainhas

Eu soube da maldição

da hegemonia

Das epidemias…

Da senzala cheia, da senzala vazia

O resto da luta por autonomia

Tudo o que sabemos é pouco e doloroso

Ainda não me conheço

Enquanto não souber o nome de todos

Gritam me negra e agradeço

Negra como todos aqueles rostos

A busca pelo meu passado

É o meu futuro

Meu aquilombar tropeçado

Em busca

dO Trono escuro

Enxerguei meus espaços

Os vazios dos outros passados

Sedentos

de contato

com a minha trajetória

Pra compor o meu ser

Abri o portal das memórias

Vi minha nascente se encher

Se eu estou aqui

Comigo eles vão prevalecer.

 

preta

 

Preta Jô

 

 

 

Postar um comentário

Neste momento esta rede social é restrita