Estou com sorte 😉

Separamos este artigo para você!

CRIE SUA COMUNIDADE DE PRÁTICA NO LAB PROCOMUM

Convocatória aberta para a formação de Grupos de Trabalho e/ou Estudo

O LAB Procomum é o laboratório cidadão criado e mantido pelo Instituto Procomum.

Desde 2016, desenvolvemos diferentes metodologias para impulsionar a criatividade cidadã e assim contribuir para a melhoria da qualidade de vida na nossa região, a Baixada Santista. Entre as metodologias que aplicamos está a da formação de comunidades de prática. Entendemos comunidades de prática como uma reunião autônoma de pessoas para estudar, pesquisar e, se possível, prototipar soluções para algum tema de interesse público.

O que é uma comunidade de prática?

Existem muitas comunidades de prática. O tempo todo, quando a gente quer juntar gente boa para fazer coisa boa juntos, é de uma comunidade de prática que a gente precisa. Então, uma comunidade de prática artística pode ser um grupo de teatro que está investigando a obra de um determinado autor que revolucionou a dramaturgia; uma comunidade de prática urbanística é um grupo de arquitetos e urbanistas interessados em entender e agir com habitação de interesse social, uma comunidade de prática de novas economias é uma galera que quer aprender e criar uma cooperativa de produção cultural e assim por diante.

Essas comunidades de prática, no LAB Procomum, são chamadas de Grupos de Trabalho ou Estudo, e podem ser provisórias ou permanentes, a depender de quem as proponha e do problema que queiram investigar e, se possível, resolver.

Com a pandemia e o fechamento forçado de nossa sede, a maior parte dos GTs e GEs que funcionavam no LAB Procomum teve suas atividades interrompidas. Com a reabertura de nosso espaço muitas pessoas têm nos procurado querendo retomar ou propor novas atividades, aproveitando a transição para este momento em que o vírus da SARS-COVID, embora siga circulando, seja menos letal.

Para organizar melhor essa demanda, resolvemos lançar uma chamada pública para novas comunidades de prática no LAB Procomum.

A chamada prevê duas modalidades de inscrição:

(1) com apoio de recursos financeiros

(2) sem apoio de recursos financeiros

A modalidade (1) é voltada a iniciativas que pretendam gerar protótipos de inovação cidadã ou que necessitem de materiais específicos que não constam daqueles que já podemos oferecer.

A modalidade (2) é direcionada aqueles que queiram fazer uso das inúmeras infraestruturas e recursos não monetários que o LAB já oferece, como por exemplo a internet, a sala hacker, a horta, a cozinha, o galpão, o ateliê, etc….

Na modalidade (1) serão destinados ao todo até R$ 60 mil reais, para serem gastos durante o ano de 2022, entre os meses de junho e dezembro, quando o laboratório entra em recesso. Cada GT ou GE dessa modalidade poderá receber até R$ 5 mil, em cronograma de desembolso a ser negociado entre o proponente e a equipe gestora do laboratório.

COMO PARTICIPAR?

Seguindo o modelo consagrado nos laboratórios de inovação cidadã, a partir da metodologia gerada pelo Medialab-Prado de Madri e replicada em diversas localidades ao redor do mundo, realizaremos duas chamadas complementares.

A primeira para pessoas e/ou coletivos que queiram propor a formação de um Grupo de Trabalho e ou Estudo. Uma vez selecionadas as propostas que mais estão de acordo com os objetivos estratégicos do Instituto Procomum, faremos uma segunda chamada para pessoas que queiram colaborar nos GTs e GEs em formação, estimulando a interdisciplinaridade. Não há limite de colaboradores por GT ou GE.

Ou seja, a chamada será dividida em duas etapas. Primeiro, para as propostas de Grupos de Prototipagem e Grupos de Trabalho. Depois de escolhidos, será realizada uma chamada para colaboradores.

QUAIS PROPOSTAS SERÃO ACEITAS?

No processo de seleção das novas comunidades de prática, vamos priorizar as que dialoguem com os princípios e eixos temáticos do Instituto Procomum.

Buscamos prioritariamente propostas de arte e cultura, de fortalecimento do espaço cívico diverso, de combate à crise climática e de produção de alternativas econômicas, com ênfase educacional, de inovação e de cuidado.

Verifique também se sua proposta está alinhada aos princípios do Instituto Procomum, que são: interseccionalidade (ênfase no protagonismo das populações sub representadas), interdisciplinaridade, pluriversalidade, criatividade e comunitarismo.

QUEM PODE PARTICIPAR?

A convocatória é direcionada a qualquer pessoa e/ou coletivo que resida em uma das nove cidades da Baixada Santista ou tenha disponibilidade de estabelecer moradia na região e assim desenvolver suas atividades na sede do LAB Procomum, no centro de Santos.

Pessoas e coletivos que já articularam GTs e/ou GEs em anos anteriores podem se inscrever novamente, seja para proposição de uma nova ideia ou para a continuidade daquela que estava em desenvolvimento antes do fechamento de nossa sede, em 2020.

QUAL O PERÍODO DE REALIZAÇÃO DAS PROPOSTAS?

Essa convocatória irá selecionar comunidades de prática para atuarem no LAB Procomum durante o ano de 2022, entre os meses de junho e dezembro.

Entendemos, no entanto, que alguns processos podem necessitar de prazo maior de execução e trataremos cada caso em sua singularidade.

COMO SEI EM QUAL MODALIDADE ME INSCREVER?

A modalidade (1) é destinada para pessoas que querem desenvolver coletivamente um protótipo. Ou seja, aqueles que identificaram um problema e para solucioná-lo ou enfrentá-lo, querem desenvolver um dispositivo, objeto, serviço, política ou prática que  necessita de recursos que o LAB Procomum não pode oferecer.
A modalidade (2) é para aqueles que querem desenvolver coletivamente uma prática. Necessitam de espaço e recursos que o LAB Procomum pode oferecer.

POSSO ME INSCREVER NAS DUAS MODALIDADES?

Não, você deve optar por uma das modalidades.

O QUE SERÁ OFERECIDO PELO PROCOMUM?

1. apoio financeiro para execução das atividades no valor de até R$ 5 mil por proposta [apenas para os projetos que aplicarem para a linha (1)]. A equipe do LAB Procomum realizará uma reunião com os projetos selecionados nessa modalidade para orientação da utilização dos recursos financeiros;

2. utilização de toda a infraestrutura de espaços, equipamentos e serviços do LAB Procomum;

3. sessões de formação e mentoria, de acordo com plano a ser desenvolvido pelas gerências de inovação e educação do Instituto Procomum;

4. divulgação das ações e atividades da comunidade de prática nos canais de comunicação do Instituto Procomum e de seus parceiros de mídia.

O QUE TENHO DE OFERECER AO PROCOMUM?

1. participação nas atividades coletivas de gestão da comunidade do Instituto Procomum;

2. cuidados com as pessoas, os espaços e os equipamentos;

3. desenvolvimento de ao menos três atividades abertas ao público frequentador do LAB Procomum, em especial às comunidades do entorno de nossa sede.

4. disponibilização em licença aberta de todos os conteúdos produzidos, bem como documentação e sistematização das experiências desenvolvidas.

5. Os promotores selecionados por esta convocatória devem auxiliar o Instituto Procomum na divulgação e seleção de colaboradores para suas comunidades;

POR QUE LABORATÓRIO CIDADÃO?

Um laboratório cidadão pode ter diversos formatos. Alguns são provisórios, duram algumas poucas semanas. Outros, como o LAB Procomum, são permanentes, e oferecem aos seus usuários as infraestruturas de que precisam para desenvolverem ações e intervenções que tenham como missão melhorar a vida das pessoas.

A esse processo, em que as pessoas colaboram criativamente para produzir soluções para os problemas sociais, nós chamamos de inovação cidadã. O que fazemos em nosso laboratório cidadão é articular de forma autônoma pessoas, iniciativas e infraestruturas para o bem comum.

POR QUE BEM COMUM?

A ideia de comum dialoga com muitos saberes e formas de ver e sentir o mundo.

Sempre que as pessoas se auto organizam para, de forma negociada, consumirem ou se relacionarem com um bem que é de todos e de ninguém ao mesmo tempo (como a água, o ar, as florestas ou o conhecimento) preocupando-se com sua preservação e sustentabilidade, estamos produzindo um comum. Ou seja, estamos falando de um modelo alternativo de organizar a ação humana e de produzir o que precisamos para viver em harmonia com a natureza.

Nesse modelo de se organizar e produzir, cada ser é corresponsável pelo outro. Temos direitos e deveres em igual proporção, o que se estende não apenas para a nossa espécie mas também para o planeta. O diálogo, portanto, é essencial para a produção do comum. Negociando uns com os outros, fazendo acordos, pactos e construindo regras que beneficiem a coletividade sem oprimir as singularidades, comunhamos.

Ao propor uma comunidade de prática no LAB Procomum, é preciso estar aberto a integrar uma rede de pessoas e iniciativas que estarão em permanente negociação, buscando desenvolver um modelo sadio de convivência em busca de transformações e soluções que melhorem a vida de todas as pessoas.

E COMO FAÇO PARA ME INSCREVER?

Neste momento esta rede social é restrita